TRANSCRIÇÃO

There’s a quote usually attributed to the writer Mark Twain that goes, “A lie can travel halfway around the world while the truth is putting on its shoes.” Funny thing about that. There’s reason to doubt that Mark Twain ever said this at all, thus, ironically, proving the point.

And today, the quote, whoever said it, is truer than ever before. In previous decades, most media with global reach consisted of several major newspapers and networks which had the resources to gather information directly.

Outlets like Reuters and the Associated Press that aggregate or re-report stories were relatively rare compared to today. The speed with which information spreads now has created the ideal conditions for a phenomenon known as circular reporting.

This is when publication A publishes misinformation, publication B reprints it, and publication A then cites B as the source for the information. It’s also considered a form of circular reporting when multiple publications report on the same initial piece of false information, which then appears to another author as having been verified by multiple sources.

For instance, the 1998 publication of a single pseudo-scientific paper arguing that routine vaccination of children causes autism inspired an entire anti-vaccination movement, despite the fact that the original paper has repeatedly been discredited by the scientific community.

Deliberately unvaccinated children are now contracting contagious diseases that had been virtually eradicated in the United States, with some infections proving fatal. In a slightly less dire example, satirical articles that are formatted to resemble real ones can also be picked up by outlets not in on the joke.

For example, a joke article in the reputable British Medical Journal entitled “Energy Expenditure in Adolescents Playing New Generation Computer Games,” has been referenced in serious science publications over 400 times.

User-generated content, such as wikis, are also a common contributor to circular reporting. As more writers come to rely on such pages for quick information, an unverified fact in a wiki page can make its way into a published article that may later be added as a citation for the very same wiki information, making it much harder to debunk.

Recent advances in communication technology have had immeasurable benefits in breaking down the barriers between information and people. But our desire for quick answers may overpower the desire to be certain of their validity.

And when this bias can be multiplied billions of people around the world, nearly instantaneously, more caution is in order. Avoiding sensationalist media, searching for criticisms of suspicious information, tracing the original source of a report can help slow down a lie, giving the truth more time to put on its shoes.

TRADUÇÃO

Há uma citação geralmente atribuída ao escritor Mark Twain que diz: “Uma mentira pode viajar meio mundo enquanto a verdade está calçando seus sapatos.” Que coisa engraçada sobre isso. Há razões para duvidar que Mark Twain alguma vez tenha dito isso, portanto, ironicamente, provando o ponto.

E hoje, a citação, seja lá quem for, é mais verdadeira do que nunca. Nas décadas anteriores, a maioria dos meios de comunicação com alcance global consistia em vários jornais e redes importantes que tinham recursos para coletar informações diretamente.

Veículos como a Reuters e a Associated Press, que agregam ou re-reportam histórias, eram relativamente raros em comparação com hoje. A velocidade com que a informação se espalha agora criou as condições ideais para um fenômeno conhecido como reportagem circular.

É quando a publicação A publica desinformação, a publicação B a reimprime e a publicação A cita B como a fonte da informação. Também é considerado uma forma de relatório circular quando várias publicações relatam a mesma informação falsa inicial, que então aparece para outro autor como tendo sido verificada por várias fontes.

Por exemplo, a publicação de 1998 de um único artigo pseudocientífico argumentando que a vacinação de rotina de crianças causa autismo inspirou todo um movimento antivacinação, apesar do fato de o artigo original ter sido repetidamente desacreditado pela comunidade científica.

Crianças deliberadamente não vacinadas estão agora contraído doenças contagiosas que foram virtualmente erradicadas nos Estados Unidos, com algumas infecções se revelando fatais. Em um exemplo um pouco menos terrível, artigos satíricos formatados para se parecerem com os reais também podem ser escolhidos por veículos que não gostam da piada.

Por exemplo, um artigo de piada no respeitável British Medical Journal intitulado “Gasto de energia em adolescentes que jogam jogos de computador de nova geração” foi citado em publicações científicas sérias mais de 400 vezes.

O conteúdo gerado pelo usuário, como wikis, também é um contribuidor comum para relatórios circulares. À medida que mais escritores passam a confiar em tais páginas para obter informações rápidas, um fato não verificado em uma página wiki pode ser transformado em um artigo publicado que pode mais tarde ser adicionado como uma citação para as mesmas informações wiki, tornando-o muito mais difícil de desmascarar.

Avanços recentes na tecnologia da comunicação tiveram benefícios imensuráveis ​​ao quebrar as barreiras entre as informações e as pessoas. Mas nosso desejo de respostas rápidas pode sobrepujar o desejo de ter certeza de sua validade.

E quando esse preconceito pode ser multiplicado por bilhões de pessoas em todo o mundo, quase que instantaneamente, mais cautela é necessária. Evitar a mídia sensacionalista, buscar críticas de informações suspeitas, rastrear a fonte original de uma reportagem pode ajudar a desacelerar uma mentira, dando à verdade mais tempo para se calçar.

← Voltar para avançado