TRANSCRIÇÃO

In a 1970 Beetle Bailey comic strip, a character known as Sarge shouts at his uniform-wearing dog, Otto, over a paperwork mistake.

“Think, Otto, think!!” Sarge says.

“We can’t all be Snoopy,” a sad Otto answers.

This joining of two well-known comic strip dogs is being shown along with many other images at the world’s largest cartoon museum. It is part of a new presentation of the history of dogs in the world of cartooning.

“The Dog Show: Two Centuries of Canine Cartoons” is being shown at Ohio State University’s Billy Ireland Cartoon Library & Museum in Columbus, Ohio. It will be open through October.

The idea for the show came when the family of Brad Anderson, the creator of the cartoon dog Marmaduke, donated his collection in 2018. It included 16,000 Marmaduke cartoons from 1954 to 2010 and other works. Anderson died in 2015.

The addition of Anderson’s dog cartoons started a discussion about other cartoons with dogs in the museum, said museum coordinator Anne Drozd.

“There were so many comic strips and magazine cartoons and comic books, and so many different examples that have dogs in them.”

Dogs’ personalities make them a very good fit for the comic strip, said show organizer Brian Walker.

Dogs “aim to please, so they actually make really good cartoon characters,” said Walker. He is a cartoonist and cartoon historian. He is also the son of Mort Walker, the creator of Beetle Bailey.

Though Otto first appeared in Beetle Bailey in 1956, he was a normal, four-legged dog until around 1970 when Mort Walker made him more human. He gave Otto his own uniform and desk. That change most likely came because of Snoopy in Charles Schulz’ Peanuts strip, Brian Walker said.

The oldest image in the show is a reprint of British artist George Cruikshank’s drawing of weather so bad it’s “raining cats and dogs.”

Moving through the years, the show includes well-known dogs like “Sandy” from Little Orphan Annie, “Daisy” from Blondie and “Dogbert” from Scott Adams’ Dilbert strip.

George Booth’s New Yorker magazine cartoon dogs are also being shown. And so are images by newspaper cartoonist Lynda Barry. Other works include Shary Flenniken’s “Trots and Bonnie,” about a girl and her talking dog that appeared in “National Lampoon” from 1972 to 1990.

There are well-known characters like “Dog Man” from the book series by cartoonist Dave Pilkey. There are also six strips from a 1940s Dick Tracy cartoon with a dog named Mugg that the detective looks after for a while.

Brian Walker said his favorite cartoon in the show comes from the 1955 Disney movie “Lady and the Tramp,” showing the dogs eating at an Italian restaurant.

“They’re both eating the same piece of spaghetti and their lips kind of come together and they fall in love,” Walker said. “It doesn’t get much better than that.”

I’m Susan Shand.

TRADUÇÃO

Em uma história em quadrinhos de Beetle Bailey de 1970, um personagem conhecido como Sarge grita com seu cachorro que usa uniforme, Otto, por causa de um erro na papelada.

“Pense, Otto, pense !!” Sarge diz.

“Nem todos podemos ser Snoopy”, responde um triste Otto.

Esta união de dois conhecidos cães de história em quadrinhos está sendo exibida junto com muitas outras imagens no maior museu de desenhos animados do mundo. É parte de uma nova apresentação da história dos cães no mundo dos desenhos animados.

“The Dog Show: Two Centuries of Canine Cartoons” está sendo exibido na Biblioteca e Museu Billy Ireland da Universidade Estadual de Ohio em Columbus, Ohio. Ele estará aberto até outubro.

A ideia do show surgiu quando a família de Brad Anderson, o criador do cão cartoon Marmaduke, doou sua coleção em 2018. Ela incluía 16.000 cartuns de Marmaduke de 1954 a 2010 e outras obras. Anderson morreu em 2015.

A adição dos desenhos animados com cães de Anderson deu início a uma discussão sobre outros desenhos animados com cães no museu, disse a coordenadora do museu, Anne Drozd.

“Havia tantas histórias em quadrinhos, desenhos de revistas e histórias em quadrinhos, e tantos exemplos diferentes de cachorros.”

As personalidades dos cães os tornam muito adequados para as histórias em quadrinhos, disse o organizador do programa, Brian Walker.

Os cães “visam agradar, então eles realmente são bons personagens de desenhos animados”, disse Walker. Ele é cartunista e historiador de desenhos animados. Ele também é filho de Mort Walker, o criador de Beetle Bailey.

Embora Otto tenha aparecido pela primeira vez em Beetle Bailey em 1956, ele era um cão de quatro patas normal até por volta de 1970, quando Mort Walker o tornou mais humano. Ele deu a Otto seu próprio uniforme e escrivaninha. Essa mudança provavelmente veio por causa do Snoopy na tira de amendoim de Charles Schulz, disse Brian Walker.

A imagem mais antiga da mostra é uma reimpressão do desenho do artista britânico George Cruikshank de um tempo tão ruim que está “chovendo gatos e cachorros”.

Com o passar dos anos, o show inclui cachorros conhecidos como “Sandy” de Little Orphan Annie, “Daisy” de Blondie e “Dogbert” de Scott Adams ’Dilbert strip.

Os cães de desenho animado da revista New Yorker de George Booth também estão sendo mostrados. E também as imagens da cartunista de jornal Lynda Barry. Outros trabalhos incluem “Trots and Bonnie”, de Shary Flenniken, sobre uma menina e seu cachorro falante que apareceu no “National Lampoon” de 1972 a 1990.

Existem personagens bem conhecidos como “Dog Man” da série de livros do cartunista Dave Pilkey. Há também seis tiras de um desenho animado de Dick Tracy, dos anos 1940, com um cachorro chamado Mugg, de quem o detetive cuida por um tempo.

Brian Walker disse que seu desenho animado favorito no programa vem do filme da Disney de 1955 “Lady and the Tramp”, mostrando os cães comendo em um restaurante italiano.

“Os dois estão comendo o mesmo pedaço de espaguete e seus lábios meio que se juntam e eles se apaixonam”, disse Walker. “Não há como ficar muito melhor do que isso.”

Eu sou Susan Shand.

← Voltar para intermediário