TRANSCRIÇÃO

Todd: So Rachel, you are from New Zealand, correct?

Rachel: Yes, that’s right.

Todd: Now when I lived in London many years ago my roommate was from New Zealand. Really nice guy, and he had the coolest job. He would ride around motorbike in New Zealand. In the bush as he called it. The wild as we say

Rachel: The bush.

Todd: The bush. And his job was to just kill invasive species. That was his job. Just go out and plant traps for rabbits.

Rachel: Yes, that’s right. Actually, I have a friend how does that now.

Todd: Really?

Rachel: Yes.

Todd: So it’s that big of a problem? You have to like …

Rachel: It’s a huge problem, yeah.

Todd: Really, like so what animals are a problem?

Rachel: Rabbits like you mentioned. Possums are a big problem in the bush because they eat a lot of the native plants

Todd: We have possums too in America in Northern California and they are disgusting. I love animals but they’re one animal I don’t like. They just … they’re nasty.

Rachel: There’s a big possum hunt in many areas every year and they’re starting to sell the pelts as fur because they’re not a protected species so there’s no limits on how much you can catch and how much fur you can sell.

Todd: Yeah, and they often have rabies right? At least in the states we have to be very careful.

Rachel: No we don’t have rabies in New Zealand.

Todd: Oh, that’s good to know.

Rachel: So …

Todd: Yeah, we have crazy stories of possums or raccoons having rabies, so when you see one, like they tell you, do not touch it, don’t go near it, because if you get bit you’re … Yeah, I got bit a dog while I was in Thailand and had to get the rabies shot and it was not fun.

Rachel: Oh, that sounds awful.

Todd: Yeah, and luckily for me I went in to get the shot because I didn’t know about really rabies. I wasn’t educated about it, and I thought well, the dog just bit me a little bit, but I better go and check and the doctor was like, “Oh, now, it can kill you” like “Yeah, you better get it checked out.”

Rachel: This is one of the reasons we have very strick import laws in New Zealand. We’ve seen the damage that can be done, and we’re very strick now. Rabies is one of the diseases that we don’t have and very keen not to ever have.

Todd: So you have a problem with possums and with rabbits.

Rachel: Rabbits on farms. There’s also wild deer and boar in the forests who also do a lot of damage and stray cats and dogs as well also kill a lot of native species. There’s no native animals in New Zealand. The only mammals that are native to New Zealand are dolphins and bats, so there’s no natural hunters except for hawks. So the birds, a lot of the birds have lost the ability to fly and they nest on the ground, so they’re enormously vulnerable to predator species like cats and dogs. They’ve almost completely decimated many bird species, so that’s why they’re hunters throughout New Zealand who are basically given free range to shoot whatever they can find because they’re so destructive to the natural environment.

Todd: Yeah, I think I read somewhere where you have some campaign to have like no predators by a certain year, right like a new things in New Zealand.

Rachel: I haven’t heard of that but I wouldn’t be surprised. I think that’s always been a goal.

Todd: I think it was … it was in the news. I’ll have to check so I could be wrong, but I think it was 2050 is the goal of the government to have no predators.

Rachel: That would be amazing.

Todd: And they said the big one is dogs and cats. That’s like the sticking point.

Rachel: They’re starting to get much stricter about controlling cats and dogs now. Keeping cats inside and keeping dogs leashed, so that they don’t run off into the bush and cause a lot of problems.

Todd: But dogs I think are probably more domesticated. They’re probably not as dangerous, but cats are basically … they’re not that domesticated. They’re still natural hunters.

Rachel: Yeah, we keep them with us to hunt, you know, pests like mice. They live with us, so yeah, they catch a lot of birds, but with the birds nesting on the ground and unable to fly, it’s very easy for the dogs to kill them as well.

Todd: Oh, I see. And dogs can just be naughty sometimes

Rachel: Heck yes. They run off.

Todd: So what do you think? Do you think your country can achieve this goal – no predators – by 2050?

Rachel: It sounds very challenging. I think at present, only some of the offshore islands are completely pest free. Well, no predators yeah that’s not quite the same as no pests because pests also include things like rabbits and possums and deer that don’t eat the native species so just predator free might be a bit more achievable I think.

TRADUÇÃO

Todd: Rachel, você é da Nova Zelândia, correto?

Rachel: Sim, isso mesmo.

Todd: Agora, quando morei em Londres, muitos anos atrás, meu colega de quarto era da Nova Zelândia. Um cara muito legal, e ele tinha o emprego mais legal. Ele andava de moto na Nova Zelândia. No mato, como ele chamou. O selvagem como dizemos

Rachel: O arbusto.

Todd: O arbusto. E seu trabalho era apenas matar espécies invasoras. Esse era o seu trabalho. Apenas saia e plante armadilhas para coelhos.

Rachel: Sim, isso mesmo. Na verdade, tenho um amigo que faz isso agora.

Todd: Sério?

Rachel: Sim.

Todd: Então, é um grande problema? Você tem que gostar …

Rachel: É um grande problema, sim.

Todd: Sério, quais animais são um problema?

Rachel: Coelhos como você mencionou. Os gambás são um grande problema no mato porque comem muito das plantas nativas

Todd: Temos gambás também na América, no norte da Califórnia, e eles são nojentos. Eu amo animais, mas eles são um animal de que não gosto. Eles apenas … eles são desagradáveis.

Rachel: Há uma grande caça ao gambá em muitas áreas todos os anos e eles estão começando a vender as peles como peles porque não são uma espécie protegida, então não há limites de quanto você pode pegar e quanta pele você pode vender.

Todd: Sim, e eles costumam ter raiva, certo? Pelo menos nos estados temos que ter muito cuidado.

Rachel: Não, não temos raiva na Nova Zelândia.

Todd: Oh, é bom saber.

Rachel: Então …

Todd: Sim, temos histórias malucas de gambás ou guaxinins com raiva, então quando você vir um, como eles dizem, não toque nele, não chegue perto dele, porque se você for mordido, você … Sim , Mordi um cachorro enquanto estava na Tailândia e tive que tomar a vacina anti-rábica e não foi divertido.

Rachel: Oh, isso parece horrível.

Todd: Sim, e felizmente para mim, fui tomar a injeção porque não sabia realmente sobre a raiva. Eu não fui educado sobre isso, e pensei bem, o cachorro só me mordeu um pouco, mas é melhor eu ir e verificar e o médico disse: “Oh, agora, isso pode te matar” como “Sim, é melhor você faça uma verificação. “

Rachel: Esta é uma das razões pelas quais temos leis de importação muito rígidas na Nova Zelândia. Vimos o dano que pode ser feito e estamos muito feridos agora. A raiva é uma das doenças que não temos e que desejamos muito nunca ter.

Todd: Então você tem problemas com gambás e coelhos.

Rachel: Coelhos em fazendas. Há também veados e javalis selvagens nas florestas que também causam muitos danos e cães e gatos vadios também matam muitas espécies nativas. Não há animais nativos na Nova Zelândia. Os únicos mamíferos nativos da Nova Zelândia são os golfinhos e os morcegos, então não há caçadores naturais, exceto falcões. Assim, os pássaros, muitos pássaros perderam a capacidade de voar e fazem seus ninhos no solo, então são enormemente vulneráveis ​​a espécies predadoras como cães e gatos. Eles quase dizimaram muitas espécies de pássaros, então é por isso que eles são caçadores em toda a Nova Zelândia, que basicamente têm liberdade para atirar em qualquer coisa que encontrem, porque são tão destrutivos para o ambiente natural.

Todd: Sim, acho que li em algum lugar onde você tem alguma campanha para ter como nenhum predador por um certo ano, como uma coisa nova na Nova Zelândia.

Rachel: Eu nunca ouvi falar disso, mas não ficaria surpresa. Acho que sempre foi um objetivo.

Todd: Acho que foi … saiu no noticiário. Vou ter que verificar para que possa estar errado, mas acho que era 2050 é a meta do governo para não ter predadores.

Rachel: Isso seria incrível.

Todd: E eles disseram que o grande são cães e gatos. Esse é o ponto crítico.

Rachel: Eles estão começando a ficar muito mais rígidos sobre o controle de cães e gatos agora. Manter os gatos dentro de casa e os cães na coleira, para que não fujam para o mato e causem muitos problemas.

Todd: Mas acho que os cães são provavelmente mais domesticados. Eles provavelmente não são tão perigosos, mas os gatos são basicamente … eles não são domesticados. Eles ainda são caçadores naturais.

Rachel: Sim, nós os mantemos conosco para caçar, você sabe, pragas como ratos. Eles moram conosco, então sim, eles pegam muitos pássaros, mas com os pássaros fazendo ninhos no chão e não podendo voar, é muito fácil para os cães matá-los também.

Todd: Oh, entendo. E os cães podem ser travessos às vezes

Rachel: Caramba, sim. Eles fogem.

Todd: Então, o que você acha? Você acha que seu país pode atingir essa meta – sem predadores – até 2050?

Rachel: Parece muito desafiador. Eu acho que no momento, apenas algumas das ilhas offshore estão completamente livres de pragas. Bem, sem predadores, sim, isso não é exatamente o mesmo que sem pragas, porque as pragas também incluem coisas como coelhos, gambás e veados que não comem as espécies nativas, então apenas livre de predadores pode ser um pouco mais viável, eu acho.

← Voltar para avançado