TRANSCRIÇÃO

Todd: So Dan we’re talking about your travels and living overseas, and you have a concept you call slow travel. Can you explain what slow travel is?

Dan: Yeah, I mean especially maybe because I’m a blogger, we’re always seeking to define things in unique ways. And there’s a lot of terms out there. There’s expat; people that have left their native country. There’s backpacker, which is someone who tries to keep their cost very low and they’re continually moving from place to place. There’s flash packer, which is a term that means you still have income from somewhere and you have more tech and toys, and you stay at maybe nicer hotels.

But what I did was always a little bit different, which is I would go and get long term leases or medium term leases at apartments. So I would go and get a house or an apartment in a place for anywhere from one to six months, and enjoy what it feels like to actually live somewhere. And that to me is so exciting, you know. Although the sights and everything are cool, and hanging out with tourists can be fun, I much prefer to go down to the local café, open up my laptop, talk to the people that are working there, and really get a sense for what it’s like to live in a city.

And over the course of my career what that’s looked like is you really develop a deep connection with the places that you live in. You might hire people there. You have really good friends there. One of the downsides of being a tourist is that you never really can develop friendships. And so what I found is that I go back to revisit a lot of the places that I once lived because I have lifelong friendships there.

So that to me has really been the benefit of slow travel and I have a theory about friendship. I think, you know, really you can’t go to place for just one month. People won’t invest their time in you. So if at least you’re going to stay in a place for three to four months, I think that’s sort of the turning point with a lot of people and they’ll say, “Hey, yeah, you know what, let’s go try to be friends. Let’s go out and do something together.”

Todd: So Dan, you’re talking about slow travel and you’re saying that basically you go and just live in a place. And I think a lot of people would be really hesitant to do that. I mean, that sounds exciting but it’s like a really big step. How would you convince somebody to do this type of lifestyle?

Dan: Well, the first thing is to get connected on the blogosphere with a lot of other people who are doing it because I think that once you see other people doing it, the mystery comes away and you realize hey, this is something that I could do. This is achievable for me. So I call that like a precedent case analysis. If you can see some other guys doing it and you can relate with them, not such a big deal anymore.

The next thing is like I always try to go somewhere where I have a project. I think it’s a great way to really get engaged because it’s so easy just to go to a place, get a short term apartment, and then go to Starbucks, and then that could just be your life. Whereas, you know, when we came here to Bali, we decided that we’re going to set up a house and we’re going to invite interns over. And we’re going to meet entrepreneurs from all around the world and that’s why we’re going to Bali because Bali is the place that everybody wants to go. If you mention Bali to somebody, they’re like, “I would love to go to Bali someday.” And that’s great for meeting people so that’s why we came here.

My last location in the Philippines, I went there with a project to hire people because I knew it was a great place to hire people. A place before that in Vietnam, I decided that I wanted to do investments in Vietnam. It’s a great place to put capital. Of course, that was before the financial crisis so that didn’t work out for so long. But I find it the idea of having a project gets you engaged.

For me as a business person, I’ve never gone somewhere and not hire somebody there. And that act in and of itself helps me to get engaged. Now, if you’re not a business person, a lot of people would come to a place like Bali and say, “I’m going to learn how to surf or I’m going to learn how to cook local Indonesian food or I’m going to learn the language.” Those kinds of projects I think are really useful for the slow travel concept. And they’re a unique opportunity because if you’re a tourist, you don’t have time to set up a business or to learn the language and that’s the unique opportunity for the slow traveler.

Todd: I’m sold.

TRADUÇÃO

Todd: Dan, estamos falando sobre suas viagens e morar no exterior, e você tem um conceito que chama de viagem lenta. Você pode explicar o que é uma viagem lenta?

Dan: Sim, quero dizer, especialmente porque sou um blogueiro, estamos sempre buscando definir as coisas de maneiras únicas. E há muitos termos por aí. Há expatriados; pessoas que deixaram seu país natal. Existe o mochileiro, que é alguém que tenta manter seus custos muito baixos e está sempre se movendo de um lugar para outro. Existe o flash packer, que é um termo que significa que você ainda tem renda de algum lugar e tem mais tecnologia e brinquedos, e você fica em hotéis talvez melhores.

Mas o que eu fazia sempre era um pouco diferente, que eu ia e conseguia aluguéis de longo prazo ou de médio prazo em apartamentos. Então, eu iria e compraria uma casa ou um apartamento em um lugar por um período de um a seis meses e desfrutaria da sensação de realmente morar em algum lugar. E isso para mim é tão emocionante, você sabe. Embora os pontos turísticos e tudo sejam legais, e sair com os turistas possa ser divertido, eu prefiro ir até o café local, abrir meu laptop, conversar com as pessoas que estão trabalhando lá e realmente ter uma noção do que é gosto de viver em uma cidade.

E ao longo da minha carreira, o que pareceu é que você realmente desenvolveu uma conexão profunda com os lugares em que vive. Você pode contratar pessoas lá. Você tem bons amigos lá. Uma das desvantagens de ser um turista é que você nunca pode realmente desenvolver amizades. E então o que descobri é que volto para revisitar muitos dos lugares que já morei porque tenho amizades de longa data lá.

Então, para mim, realmente tem sido o benefício de viajar devagar e tenho uma teoria sobre amizade. Eu acho, você sabe, realmente você não pode ir para um lugar por apenas um mês. As pessoas não vão investir seu tempo em você. Então, se pelo menos você vai ficar em um lugar por três a quatro meses, acho que é o ponto de virada para muitas pessoas e elas vão dizer: “Ei, sim, quer saber, vamos tentar ser amigos. Vamos sair e fazer algo juntos. ”

Todd: Dan, você está falando sobre viagens lentas e está dizendo que basicamente você vai e apenas vive em um lugar. E eu acho que muitas pessoas ficariam realmente hesitantes em fazer isso. Quer dizer, parece emocionante, mas é um grande passo. Como você convenceria alguém a ter esse tipo de estilo de vida?

Dan: Bem, a primeira coisa é se conectar na blogosfera com muitas outras pessoas que estão fazendo isso porque eu acho que quando você vê outras pessoas fazendo isso, o mistério vem e você percebe, ei, isso é algo que eu poderia fazer. Isso é possível para mim. Portanto, chamo isso de análise de caso precedente. Se você pode ver alguns outros caras fazendo isso e você pode se relacionar com eles, não é mais um grande negócio.

A próxima coisa é como eu sempre tento ir a algum lugar onde tenho um projeto. Acho que é uma ótima maneira de realmente ficar noivo, porque é tão fácil simplesmente ir para um lugar, conseguir um apartamento de curta duração e depois ir para a Starbucks, e então isso poderia ser apenas sua vida. Considerando que, você sabe, quando viemos para Bali, decidimos que vamos montar uma casa e vamos convidar estagiários. E vamos encontrar empreendedores de todo o mundo e é por isso que vamos para Bali, porque Bali é o lugar que todo mundo quer ir. Se você menciona Bali para alguém, eles dizem: “Eu adoraria ir para Bali algum dia”. E isso é ótimo para conhecer pessoas, é por isso que viemos aqui.

Meu último local nas Filipinas, fui para lá com um projeto de contratação de pessoas porque sabia que era um ótimo lugar para contratar pessoas. Antes disso, no Vietnã, decidi que queria fazer investimentos no Vietnã. É um ótimo lugar para colocar capital. Claro, isso foi antes da crise financeira, então isso não funcionou por tanto tempo. Mas acho que a ideia de ter um projeto deixa você engajado.

Para mim, como empresário, nunca fui a algum lugar e não contratei alguém lá. E esse ato por si só me ajuda a ficar envolvido. Agora, se você não é um homem de negócios, muitas pessoas viriam a um lugar como Bali e diriam: “Vou aprender a surfar ou vou aprender a cozinhar comida indonésia local ou eu vou aprender a língua. ” Acho que esses tipos de projetos são realmente úteis para o conceito de viagem lenta. E são uma oportunidade única porque, se você é um turista, não tem tempo para abrir um negócio ou aprender o idioma e essa é uma oportunidade única para o viajante lento.

Todd: Estou convencido.

← Voltar para avançado