TRANSCRIÇÃO

Grace Luczak had left competitive rowing and taken a job. But a move toward gender equity at the Tokyo Olympic Games brought her back into the boat.

This year, a woman’s rowing event was added to make sure that there is an equal number of men’s and women’s sports at the Olympics. That change meant four additional spots on the U.S. team and a place for Luczak.

The rower said it was hard to make the decision to go back to the sport and leave her job for a year. She did not think it was possible until more seats were added.

“There are four more seats,” Luczak said. “Four. And it’s the first gender-equal Olympics. How can you not try?”

Most of the public attention goes to big sports like gymnastics, swimming and track and field. But women from smaller sports that are less popular are now being recognized and given a chance to compete in the Olympics.

The International Olympic Committee, or IOC, added 18 new events to the Tokyo Games in a push toward gender equity. There are an equal number of women and men for every sport, aside from baseball and softball because of different team sizes.

The IOC said 49 percent of athletes in Tokyo are women. That is up from 45 percent at the last Summer Olympics in Rio de Janeiro. The IOC said that when women began competing in the 1900 Paris Olympics, there were only 22 out of 997 total athletes.

“Tokyo 2020 is predicted to be the most gender equal yet with female participation,” the IOC said.

Closing the gender difference is an important issue for many women. Concerns about equity got attention at this year’s NCAA college basketball championship. People on social media became upset when images showed how the women’s teams had less equipment than men’s teams.

The new chances for women at the Olympics come in several sports. In water polo, two additional teams were added, for a total of 10. Britain is sending more women than men to the Olympics for the first time.

Gains for women in many cases meant fewer spots for men. Boxing has 100 women competing in five weight groups. That is an increase from 36 women in three weight groups at the Games in Rio de Janeiro. Two men’s groups were lost.

Weightlifting this year is equal at seven teams for both men and women. But that was possible only by dropping one men’s team. Women’s canoeing was added. Two men’s canoeing events were dropped.

Not every addition hurt men’s sports. Swimming added the 1,500-meter freestyle for women. But the men’s 800 freestyle swim was brought back for the first time since 1904. This year, there will be the first mixed gender relay race.

Five new sports were added this year: baseball, softball, karate, skateboarding, sports climbing and surfing. The IOC made sure to have equal numbers of men and women.

Luczak, now 32, knows that a male teammate’s sport was lost for her to be able to compete. Her four-person rowing event replaces the same event for men.

“It’s never fun seeing people find out their opportunity is gone,” Luczak said. “But in creating an equal number of opportunities, it shows there is a pathway for female athletes.”

I’m Dan Novak.

TRADUÇÃO

Grace Luczak deixou o remo competitivo e arranjou um emprego. Mas um movimento em direção à igualdade de gênero nos Jogos Olímpicos de Tóquio a trouxe de volta ao barco.

Este ano, um evento de remo feminino foi adicionado para garantir que haja um número igual de esportes masculinos e femininos nas Olimpíadas. Essa mudança significou quatro vagas adicionais na equipe dos EUA e uma vaga para Luczak.

A remadora disse que foi difícil tomar a decisão de voltar ao esporte e deixar o emprego por um ano. Ela não achava que seria possível até que mais assentos fossem adicionados.

“Há mais quatro assentos”, disse Luczak. “Quatro. E é a primeira Olimpíada com igualdade de gênero. Como você pode não tentar? “

A maior parte da atenção do público vai para grandes esportes como ginástica, natação e atletismo. Mas as mulheres de esportes menores e menos populares agora estão sendo reconhecidas e têm a chance de competir nas Olimpíadas.

O Comitê Olímpico Internacional, ou COI, adicionou 18 novos eventos aos Jogos de Tóquio em um impulso para a igualdade de gênero. Há um número igual de mulheres e homens para todos os esportes, além do beisebol e do softball, devido aos tamanhos diferentes de equipes.

O COI disse que 49% dos atletas em Tóquio são mulheres. Isso é um aumento de 45 por cento nos últimos Jogos Olímpicos de Verão no Rio de Janeiro. O COI disse que quando as mulheres começaram a competir nas Olimpíadas de Paris de 1900, havia apenas 22 de um total de 997 atletas.

“Prevê-se que Tóquio 2020 seja o país com maior igualdade de gênero e participação feminina”, disse o COI.

Fechar a diferença de gênero é uma questão importante para muitas mulheres. As preocupações com a equidade chamaram a atenção no campeonato de basquete universitário da NCAA deste ano. As pessoas nas redes sociais ficaram chateadas quando as imagens mostraram como as equipes femininas tinham menos equipamento do que as masculinas.

As novas chances para as mulheres nas Olimpíadas surgem em vários esportes. No pólo aquático, duas equipes adicionais foram adicionadas, para um total de 10. A Grã-Bretanha está enviando mais mulheres do que homens para as Olimpíadas pela primeira vez.

Os ganhos para as mulheres, em muitos casos, significaram menos manchas para os homens. O boxe tem 100 mulheres competindo em cinco categorias de peso. É um acréscimo de 36 mulheres em três categorias de peso nos Jogos do Rio de Janeiro. Dois grupos de homens foram perdidos.

O levantamento de peso neste ano é igual a sete equipes, tanto masculinas quanto femininas. Mas isso só foi possível eliminando uma equipe masculina. A canoagem feminina foi adicionada. Dois eventos de canoagem masculina foram abandonados.

Nem todas as novidades prejudicam os esportes masculinos. A natação acrescentou o estilo livre de 1.500 metros para as mulheres. Mas os 800 homens de nado livre foram trazidos de volta pela primeira vez desde 1904. Este ano, haverá a primeira corrida de revezamento de gêneros mistos.

Cinco novos esportes foram adicionados este ano: beisebol, softball, caratê, skate, escalada esportiva e surfe. O COI certificou-se de ter um número igual de homens e mulheres.

Luczak, agora com 32 anos, sabe que o esporte de um colega de time masculino foi perdido para ela poder competir. Seu evento de remo para quatro pessoas substitui o mesmo evento para os homens.

“Nunca é divertido ver as pessoas descobrirem que sua oportunidade se foi”, disse Luczak. “Mas, ao criar um número igual de oportunidades, isso mostra que há um caminho para as atletas do sexo feminino.”

Eu sou Dan Novak.

← Voltar para intermediário